sábado, 25 de junho de 2011

Eu e a porteira:




La no ranchinho, sentado na porteira, vejo
A sexta hora chegar...
Já começa escurecer e o iambú começa
Cantar...
Os bichos caçam seu cantinho, as galinhas
Vão empoleirar...
Nesse dia tão belo, num lugar tão lindo
Eu começo a sonhar...

O boi passa carreando e continuo a sonhar...
Sonhar com meu amor, lembrar daquela flor
Que eu queria conquistar...
Ali tudo é tão belo, até seu amor é sincero
Parece um pedacinho do céu...

Quando tudo escurecer, ao céu minhas mãos
Levantarei...
Ao pai agradecerei e um pedido eu farei:
Senhor, que um dia nessa porteira, meu
Amor possa comigo assentar e ao meu lado
Para sempre possa ficar. Paulo Franco.

6 comentários:

  1. Gosto muito desse poema, peço a Deus que realize o eu sonho!

    ResponderExcluir
  2. lindoo adoreii em meu amigo

    ResponderExcluir
  3. Passei por várias postagens suas e seus textos são harmoniosos;
    volte a escrever, atualize sua página, um encantador de palavras como você não pode parar.
    Agradeço sua visita ao Perseverança e por fazer parte do blog.
    Abraço fraterno
    Nicinha

    ResponderExcluir
  4. micilene Resende8 de julho de 2013 17:19

    Que lindo poema meu amigo!!...Ao ler este belo poema me lembrei de tantas passagens na minha infância... Ouvir o carro de boi cantar no alto da colina, é de arrepiar... magico mesmo... nunca esquecemos nossas raizes, seus poemas so fazem com que possamos revive-los... Assim podemos ver como é bom poder lembrar da infância adorável. é como cavalgar no tempo... Bjs adorável poéta....♥

    ResponderExcluir

LEITURA

LEITURA

 
Real Time Web Analytics